Manejo de morcegos

Os morcegos são animais sinantrópicos, isto é, convivem próximos aos seres humanos. Para se evitar riscos à saúde da população em áreas urbanas, torna-se necessário reduzir, ou mesmo impedir, a presença e a permanência desses animais junto às edificações, principalmente, aos forros, porões, sotões, e vãos de dilatações nas construções, etc.

A maior parte das espécies que vivem ou utilizam recursos do ambiente urbano possuem hábitos alimentares insetívoros ou frugívoros.

O maior problema com a presença de morcegos em áreas urbanas é a transmissão da raiva.  Todos os morcegos – e não só os hematófogos – são capazes de contrair, transmitir e morrer pelo vírus da raiva, assim como outros mamífero.

Os morcegos possuem importante papel ecológico na natureza. São animais silvestres protegidos por lei, sendo o manejo e/ou controle regulamentado pela Instrução Normativa do IBAMA nº 141/2006.

As ações recomendadas pelo ICMBio/MMA para auxiliar na solução de problemas causados por morcegos em áreas urbanas envolvem um monitoramento constante e adequação das edificações para evitar os problemas decorrentes da instalação de colônias.

O manejo dos morcego envolve principalmente o manejo do ambiente, o desalojamento de colônias, vedação de entrada e saída, remoção de colônias, medidas de limpeza.